RSS

Arquivo da tag: Bibliotecários

Atuação do bibliotecário como profissional de inteligência competitiva: caso Knowtec

knowtec1

Hoje gostaria de aproveitar para divulgar um trabalho meu e de minha companheira e amiga Paula Carina. Esse trabalho, que leva o mesmo título do post, foi feito e apresentado no XXVII Painel: Biblioteconomia em Santa Catarina. Evento promovido pela ACB e realizado nos dias 27 e 28 de novembro de 2008.

Segue o resumo do trabalho e o link de nossa apresentação. Para mais informações é só entrar em contato.

Resumo:
Apresenta um relato de experiência da atuação do bibliotecário no Núcleo de Inteligência Competitiva (NIC) da empresa Knowtec em Florianópolis (SC). Aborda o conceito de inteligência competitiva (IC), descreve suas etapas e aponta os atores envolvidos. Destaca o trabalho do bibliotecário no processo de IC a partir da descrição das atividades de coordenação de pesquisa, monitoramento de mídias e pesquisa de informações. Infere-se que onde existe a necessidade de coletar, organizar, tratar e disseminar informação, também há a necessidade do trabalho de um bibliotecário. Portanto, fica claro que é importante investir na formação de profissionais multifacetados, aptos a trabalhar em diferentes segmentos, já que a informação está presente em todas as organizações e os sistemas de inteligência competitiva, em particular, exigem cada vez mais profissionais com inúmeras habilidades pessoais e profissionais.

Apresentação: Atuação do bibliotecário como profissional de inteligência competitiva: caso Knowtec

Anúncios
 

Tags: , ,

Arquitetos de informação

Recebi de uma amiga um texto por e-mail cujo o título é “Bibliotecário é arquiteto da informação, sabia?” e fiquei muito interessada com o que li. Como bibliotecária que serei, não me ati ao texto no e-mail e fui verificar o que mais teria de informações sobre o assunto na fonte do referido texto. Fiquei encantada com o que li no site Webinsider!

Bom, para começar precisava saber claramente o que vem a ser um “Arquiteto de informação”. Segundo o arquiteto Wurman, que criou esse termo na década de 60, “O ‘arquiteto de informação’ seria o indivíduo com a missão de organizar padrões dos dados e de transformar o que é complexo em algo mais claro, é a pessoa que mapeia determinada informação e nos disponibiliza o mapa, de modo a que todos possamos criar nossos caminhos próprios em direção ao conhecimento.”Livros

Para Souza, a “Arquitetura de Informação é a arte e a ciência de organizar, estruturar e categorizar a informação para torná–la mais fácil de encontrar e de controlar. Essa definição encaixa–se perfeitamente no papel e na função do bibliotecário, que segundo Milanesi (apud SOUZA, 2005) é descongestionar todas as vias de fluxo da informação”.”

Então, se pensarmos fisicamente (em livros), quem faz isso é um bibliotecário. Porque não, então, fazer isso no “novo” suporte da informação, a web? Será que é porque a maioria das instituições de ensino superior não ensinam os futuros bibliotecários a conhecer esse lado da biblioteconomia ou os alunos que entram nesse curso de graduação não querem saber de tecnologia? Acho que isso é a mesma coisa que perguntar quem veio primeiro, o ovo ou a galinha?

O fato é que algumas instituições de ensino estão mudando, abriram os olhos para no grande, proveitoso e lucrativo mundo da informações web. Assim, já mudaram seu currículo, criaram novas disciplinas, antes somente vistas em Computação, habilitações e especializações, algumas até mudaram o nome do curso.

Enfim, voltando ao assunto anterior, segundo Agner “a complexidade e a importância dos sites da web fugiu totalmente ao controle do “webmaster’”. E para resolver esse problema não basta mais uma equipe apenas de desenvolvedores, é preciso uma equipe multidisciplinar, como conhecimentos em: engenharia de sistemas, engenharia de usabilidade, biblioteconomia e marketing.

Cada um dentro da equipe terá seu papel fundamental, o bibliotecário cuidará da catalogação, indexação e categorização do conteúdo, o engenheiro de software delineará os requerimentos do sistema e dirá o que é ou não viável. O engenheiro de usabilidade é quem vai liderar os testes e o profissional de marketing, que é o primeiro a entrar na roda, especificando o produto e o público a ser atingido.

Todavia, para que o bibliotecário possa ser um dos arquitetos de informação ele precisa se atualizar, se aperfeiçoar nessa área. Porém isso é um assunto para um próximo post.

Referências:

AGNER, Luiz. Arquitetura de informação, que diabo é isso? (1)

__________. Arquitetura de informação, que diabo é isso? (2)

ZILSE, Renata. AI na prática

SOUZA, Katyusha. Bibliotecário é arquiteto da informação, sabia?

 
2 Comentários

Publicado por em 01/09/2009 em Biblioteconomia

 

Tags: ,